O tempo das coisas

Hoje fui caminhar na orla pelo segundo dia consecutivo. Não sei se irei amanhã, mas espero que sim. Tenho acordado por volta das 4 e meia; vejo o dia clarear só um pouquinho pela janela e saio de casa sozinha enquanto todos ainda dormem. Quando a possibilidade de voltar para Salvador se tornou real e … Continue lendo O tempo das coisas

Quando o mar chama

Não era silêncio, era o som abafado da vida pulsante de Salvador. Parecia que eu estava há muitas léguas submarinas da praia, quem sabe até no meio do caminho entre o Brasil e a África. Durante alguns pares de segundos na horizontal, intercalados pela insegurança que me fazia voltar para a vertical, me permiti boiar. … Continue lendo Quando o mar chama