O tempo das coisas

Hoje fui caminhar na orla pelo segundo dia consecutivo. Não sei se irei amanhã, mas espero que sim. Tenho acordado por volta das 4 e meia; vejo o dia clarear só um pouquinho pela janela e saio de casa sozinha enquanto todos ainda dormem. Quando a possibilidade de voltar para Salvador se tornou real e … Continue lendo O tempo das coisas

Quando o mar chama

Não era silêncio, era o som abafado da vida pulsante de Salvador. Parecia que eu estava há muitas léguas submarinas da praia, quem sabe até no meio do caminho entre o Brasil e a África. Durante alguns pares de segundos na horizontal, intercalados pela insegurança que me fazia voltar para a vertical, me permiti boiar. … Continue lendo Quando o mar chama

Os muitos psiquiatras de uma pessoa só

Da psiquiatra número 1 não tenho muito o que falar: foram apenas duas consultas pelo SUS em um período de poucos meses de desemprego em que estive em Salvador, sofrendo de uma ansiedade enlouquecedora (ainda sem o diagnóstico de depressão). Ela me receitou um remédio bem conhecido e que não me causou grandes problemas. Mas … Continue lendo Os muitos psiquiatras de uma pessoa só

A minha depressão (e um pedido de desculpas a quem gosta de mim)

Estou ausente de mim. Ausente do mundo. Ausente de tudo. Ausente de uma vida que deveria ser vivida. Sigo apenas sobrevivendo, apenas observando, por oras atenta, por oras distraída, vendo o mundo rodar, o dia passar, o tempo voar. Em janeiro de 2016 comecei a tomar antidepressivos. A princípio, para a ansiedade que atingiu níveis … Continue lendo A minha depressão (e um pedido de desculpas a quem gosta de mim)