Publicado em Seriados

The book is on the table

Eu e 'Daniel Grayson'
Eu e ‘Daniel Grayson’

Nas últimas semanas fiz algo novo na minha carreira jornalística: entrevistas em inglês e em vídeo. Porque fazer entrevistas em inglês sem que estejam te gravando, sem que você precise se preocupar com seu sotaque, sua pronúncia, seu cabelo, roupa, simpatia e ainda por cima parecer inteligente é uma coisa. Mas juntar tudo isso na frente de uma equipe, de câmeras e de pessoas que não falam a mesma língua que você é outra história.

A primeira foi com a roteirista e produtora de ‘CSI’ – seriado que gosto muito – Liz Devine. Foi sofrível. Eu estava nervosa, decorei as perguntas e não desenvolvi a conversa tanto quanto gostaria. Foi sofrível mas divulgo: para assistir é só clicar aqui.

Na segunda, com o ator de ‘Revenge’, Joshua Bowman, decidi deixar meu caderninho de lado e tentar conversar para que as coisas saíssem de forma mais natural. Por ele ser absurdamente simpático e ter ficado de papo comigo antes de começarmos a gravar me senti mais segura. Mas, assistindo ao resultado em vídeo, continuo me torturando pelo sotaque, pela pronúncia, pelos erros gramaticais e por tudo o que deixei passar porque não consegui raciocinar rapidamente em inglês para aproveitar um bom gancho – e ele me deu vários – para tornar a entrevista mais interessante. Me cobrei muito, como sempre. Acho que poderia ter feito melhor mas dessa vez acredito que não fiz feio. Para saber do que estou falando, clique aqui.

Publiquei outros dois textos para o blog do Yahoo: um sobre a estreia de ‘Almost Human’ e outro sobre o crescimento dos nomes de personagens de seriados em recém-nascidos. 

——————————————————————————————–

Antes de escrever esse texto pensei muito sobre o medo. Medo da exposição, dos comentários bizarros aos quais fico exposta por me expor constantemente no trabalho que tenho e fora dele (como é o caso deste blog), medo de falhar, de decepcionar, de continuar. Escrevi várias linhas sobre o assunto. E tive medo de publicar…

 

Anúncios
Publicado em Seriados

O dia em que revi ‘Doctor Tennant’ – e foi no cinema

É muito difícil para mim escrever sobre ‘Doctor Who’. Me atrevo mas nunca acredito que o que escrevi ficou bom o bastante para descrever uma série tão cheia de peculiaridades, detalhes e referências. Mas hoje é dia de superar isso já que em 23 de novembro ‘Doctor Who’ comemorou 50 anos em grande estilo. Fãs de vários países puderam assistir no cinema (em 12D, ops, só 3D por enquanto), simultâneamente com a televisão, um episódio especial lindo de morrer. De viver. De regenerar.

Foram várias salas em diferentes estados do Brasil que tiveram os ingressos esgotados nas primeiras doze horas. Mais salas foram abertas. Mais cidade contempladas. Um segundo dia de exibição foi criado. Até o Google fez sua homenagem com um joguinho na página inicial de buscas durante dois dias inteiros.

E valeu à pena. Fui uma das pessoas privilegiadas que assistiu ‘The Day of the Doctor’ na ‘telona’ e tive a oportunidade de acompanhar os vídeos bacanas feitos com os personagens antes da sessão começar. De início, Strax deu dicas de boa educação na sala de cinema, o que já serviu como aquecimento do universo de criaturas fantásticas – e algumas muito divertidas – do seriado, como o guerreiro que não entende as ‘criaturas inferiores com gêneros diferentes’ do planeta Terra.

Continua no Spoiler…

Publicado em Seriados

Bloco de textos publicados no Yahoo Brasil

Eis aqui, com um pequeno atraso, os últimos textos que escrevi para o Spoiler.

Portugal e os títulos dos seriados

Inspirada pela notícia de que ‘Breaking Bad’ será exibido pela Record, perguntei no facebook qual seria a belíssima tradução para o título do seriado que usariam – não só no cinema acontece esse ‘pequeno probleminha’ de títulos que não têm absolutamente nada a ver com o nome original.

E eis que um comentário me inspirou a fazer esse post. Lá eu descobri que, em Portugal, ‘Breaking Bad’ é conhecido como ‘Ruptura Total’. E fiquei curiosa para saber que outras traduções esquisitas são feitas pelos nossos companheiros de língua materna.
Existem os títulos óbvios como ‘Bones’ = ‘Ossos’ e ‘Lost’ = ‘Perdidos’, mas também existem outros que merecem ser mencionados, não apenas pela graça da diferença nas palavras e expressões entre o português de Portugal e o do Brasil, mas pela total incompreensão de onde saiu aquela tradução.

Leia mais aqui.

 Tapas, beijos e mulheres à beira de um ataque de nervos

Pela abertura, título e música tema fica bem óbvio que ‘Tapas & Beijos’ é um seriado sobre relacionamentos, certo? Errado. ‘Tapas & Beijos’ é um seriado sobre mulheres descontroladas. Eu sei que isso não é nenhuma novidade, afinal, ele já está no ar da Globo desde 2011 mas, assistindo ao episódio desta terça (5/11), me peguei pensando nessas mulheres loucas e tão comuns.
Porque é isso mesmo: Fátima (Fernanda Torres) e Sueli (Andréa Beltrão) são descompensadas e quem disser que nunca se identificou com nenhuma das duas, em nenhum momento, estará mentindo.

As histórias são repetitivas. Você pode passar semanas sem acompanhar nenhum capítulo e, fora um personagem ou outro que apareça ou uma situação diferente que tenha continuidade, são os momentos cômicos dos núcleos peculiares e a sequência de encontros, desencontros, erros e acertos que fazem com que os capítulos sejam leves e divertidos, ótimos para passar o tempo após o dramalhão recheado de clichês e péssimas interpretações de ‘Amor à Vida’, atual novela das 21h da Globo (sorte a sua se não sabe do que se trata).

Continua…

O politicamente incorreto de Miguel Falabella

‘Pé na Cova’ é um show de horrores. O seriado tem o texto, o jeito e a cara de Miguel Falabella que, pelo visto, aproveita o espaço para fazer o que quiser. A impressão que tive ao assistir o episódio da última terça-feira chamado de ‘À Deriva’ foi que ele reuniu uns amigos, umas figuras que ele admirava ou achava interessantes por algum motivo específico, juntou tudo numa panela, mexeu e fez a série.

Só para situar quem nunca assistiu ou ouviu falar do seriado, ‘Pé na Cova’ mostra as confusões de uma família dona de uma funerária no subúrbio carioca, a F.U.I. (Funerária Unidos do Irajá). Nada, mas nada a ver com a grande série ‘A Sete Palmos’, que fique bem claro. Ela está na segunda temporada mas já teve seu contrato renovado para uma terceira em 2014.

Mais no Spoiler.

Publicado em Pensamentos, Seriados

A cara da mãe

Acho que ainda não tinha comentado por aqui que o ‘Spoiler’ agora virou meu filho. E tá com a cara da mãe (ok, ainda não totalmente em vários aspectos mas isso se ajeita aos pouquinhos). Ele inicialmente foi criado para ser de toda a redação do Yahoo: quem gostasse de seriados e quisesse escrever sobre qualquer um era só chegar. Mas desde que eu cheguei na empresa, fui a única a atualizar – infelizmente não tanto quanto gostaria.

Pois o tempo foi passando e a adoção foi feita. Ainda não consigo manter uma grande frequência de atualizações mas, ter a minha cara (e só ouço a voz do meu pai nesse momento me corrigindo ‘cara não Papá, rosto’) faz com que a responsabilidade aumente e a vergonha de deixá-lo às moscas também!

Quem quiser passar lá para dar uma olhadinha nas últimas novidades que não coloquei aqui como uma crítica sobre Elementary, uma novidade sobre Breaking Bad e uma lista com algumas séries brasileiras na TV fechadoclicar.

Tentarei deixar “meu peixe” para os devaneios e desabafos habituais, afinal, ele é um grande ouvinte que não reclama do meu mimimi – só dos eventuais erros de português – e vez ou outra até me ajuda com conselhos. Pra quê melhor?

Atualmente tenho 3 blogs e duas editorias para cuidar. Me desejem sorte! :)

Publicado em Seriados

Websérie torna ‘A Mulher do Prefeito’ mais atraente

Na novela ‘Cheias de Charme’ a Globo finalmente decidiu investir pesadamente na união entre a TV e a internet. Antes disso, em algumas tramas, personagens de novelas já tinham seus blogs ou surgiam pequenas incursões na tão pouco usada ‘interação virtual’ na dramaturgia.

Pois foi com o clipe das Empreguetes, lançado do site na emissora, que ficou óbvio o quão bacana pode ser para o público que tem acesso aos computadores ter esses pequenos “presentes” das tramas que eles acompanham e gostam.

Agora chegou a vez de mais um bom recurso: a websérie. Em ‘A Mulher do Prefeito’, seriado que estreou recentemente (em 04 de outubro), o personagem de Tony Ramos está cumprindo prisão domiciliar. E aí, para passar o tempo e tentar “limpar sua barra”, Reinaldo Rangel, agora ex-prefeito, tenta gravar em vídeo uma autobiografia.

Mais no Spoiler.