Desabafos de uma mente descontroladamente salgada

Quero emagrecer para comer todos os ‘brunches’ do mundo.

Há alguns anos ando brigando com a balança – o que é uma novidade recente na minha vida porque, até os 20 e poucos, isso nunca foi uma preocupação. Mas ok, engordei por várias motivos – ansiedade é um deles -, a idade chegou – depois dos 30 é ladeira abaixo – e foi ficando cada vez mais difícil acreditar que minha genética poderia me ajudar em algo nesse sentido. Na verdade não ajuda em nada. Ainda por cima sou flácida. Mas vou parar de reclamar porque recentemente escutei de diferentes pessoas que faço muito isso e essa é uma questão para outro post.

O caso é que preciso emagrecer. Preciso perder 10 kg. Cinco me deixariam bem feliz. Mas 10 é o objetivo master final da vida para, enfim, poder comer meus brunches em paz. Sim, eu tenho uma paixão louca e desenfreada pelos cafés da manhã que são praticamente almoços das padarias de São Paulo. AMO.

Mas infelizmente eu preciso fechar a boca. Preciso fechar a boca e encontrar outra forma de dar vazão para a tal ansiedade. Pensei em comprar lápis de cera e começar a desenhar, mesmo com a capacidade motora de uma criança de 5 anos que tenho. Mas, se ajudar a relaxar, porque não?

Escrever poderia ser uma boa.. mas me cobro demais com a escrita e não consigo relaxar tanto assim apesar do prazer que sinto com um texto pronto – do tipo que me agrada, claro. Ler eu não consigo, só com muito esforço porque sou distraída. Para costurar preciso de aulas… é… não tá fácil.

Mas vou emagrecer. Preciso emagrecer. Por estética e por saúde. A gastrite e esofagite descobertas recentemente podem me ajudar nessa missão. Não sozinhas porque, apesar das restrições alimentares, só emagreço com exercícios físicos. E com a preguiça inerente ao meu ser, bom, essa também não é uma tarefa fácil.

Queria perder vários quilos para chegar linda em magra e Salvador. Não vai dar tempo. Estendi o objetivo para o réveillon, que pretendo passar na praia e ficar alguns dias de biquíni, coberta de sal, pensando pouco na vida ‘real’. Mas ainda não sei para onde vou, o que aumenta a tal ansiedade.

Pois a partir de hoje fecho minha boca. Não comerei nada que seja muito gostoso e engordativo. Só saudável, light e zero ácido. E tentarei, pelo menos 3 vezes por semana, ficar uns 50 minutos na esteira. Por agora, é o que temos de atividade física.

Sim, farei isso. Espero fazer. E estou escrevendo isso aqui para sentir o peso da obrigação pública. Portanto, caro leitor, se você me encontrar por aí, abocanhando um brigadeiro, um hambúrguer ou uma pizza portuguesa, pode arrancar da minha mão, mesmo que eu resista. Me sinto pesada, então não serei uma boa adversária de luta.

Boa sorte para mim. E que esse quilos me deixem. Não gosto deles.

Ah, e antes que alguém pense no discurso da ditadura da magreza: não, não quero ficar como as modelos anoréxicas, não prego que todo mundo tem que ser esquelético para ser bonito. Isso é algo extremamente particular de alguém que sempre teve uma média de peso, está acima dele e não se sente bem assim. Tenho mais de 30 e quero me sentir bem e saudável. Nesse momento eu só me sinto pesada, cansada e odeio ficar assada entre as coxas toda vez que coloco um vestido e caminho um pouco mais pelas ruas. Acho que são bons motivos para perder peso.

Anúncios

4 comentários sobre “Desabafos de uma mente descontroladamente salgada

  1. Me lembre de marcar um programa light e nada engordativo pra fazermos quando chegar aqui.
    E só uma observação: acho foda como a gente tem – ou acha que tem – que explicar o porque de querer estar magra ou o porque de não querer estar magra. Será que as pessoas podem escolher o corpo que querem ter sem ter que dever explicações a quem quer que seja?
    E gostei da ideia do giz de cera…rsrs

    bjin! :)

  2. Ontem escrevi uma resposta enorme mas minha internet caiu bem no momento do ‘send’. Como será possível Di? Depois de meses longe não me render ao pãozinho delícia, à torta sertaneja e à moqueca de Brotas? E eu acho foda também porque sou do tipo que sente que sempre deve explicar, justificar e me culpar por algo – às vezes até por querer voltar ao peso que sempre tive. Enfim, preciso de muitos lápis de cera.. e de muitas horas com vc! <3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s